O que querem as chinesas ?

As chinesas aprendem depressa. As marcas de luxo que antes achavam que elas comprariam qualquer coisa que tivesse um” logo”, estão precisando se adaptar pois o que elas estão buscando agora é “sofisticação” e “diferenciação”.

Educação é o primeiro passo, e para elas um MBA é um “must”.

Escolas de etiqueta estão fazendo o maior sucesso e a mais conceituada é a Institute Sarita, em Beijing. Sua criadora, a chinesa Sara Jane Ho, tem 27 anos, fez MBA em Harvard e fala 5 línguas. Ela cobra $16 mil dólares por um curso de 3 meses onde as mulheres casadas aprendem a receber com sofisticação. Um curso para jovens solteiras custa 20% menos.

 

Olha a pulseira!

 

E os cílios …

 

Os bailes de debutantes são importantes para a elite . Este foi em Shangai ( quem são os “rapazes” ao fundo ? ).

 

Na busca de ser diferente elas procuram edições limitadas (Prada está usando esta estratégia de” produtos relâmpago “) e acessórios personalizados ( Vuitton está fazendo produtos diferenciados e montando Salas VIP ).

 

                                                      Vuitton em Shangai

Carros antigos ao invés de novos – a Porsche 911 de 1975 é um sonho para o futuro .

E um Steinway em casa, também.

Mas como diz uma aluna do Institute Sarita, se com $16 mil elas aprendem todas as regras de etiqueta, com o dôbro desta quantia elas podem fazer um MBA. É preciso ainda mais que isso para poder comprar o que elas realmente querem :

 

A Birken.

 

via financial times, business insider, hermès

Comments are closed.